Mostra Competitiva ROTA 2017

0
144

Mostra A – segunda, 14 de agosto, das 20h às 22h

IRMA (20’01”) roteiro de Lorena Arouche – Olinda/PE
Quinze anos após o assassinato de “Os Ferreira”, Irma chega à cidade do sertão nordestino onde o crime aconteceu. Com sede de vingança, a estranha forasteira esbarra com o filho do algoz de sua família e ficará dividia entre dois amores.

 

MERCADORIA (15’19”) roteiro de Mila Teixeira – Rio de Janeiro/RJ
A partir da chegada de uma novata, seis mulheres compartilham suas experiências, desejos e medos no trabalho com a prostituição.

 

PERAMBULAÇÃO (11’37”) roteiro de Samuel Peregrino – Goiânia/GO
Nathanael não consegue dormir. Ele procura ajuda do especialista do sono Dr. Coppelius, que lhe promete devolver os bons sonhos usando estranhos aparatos que o despertarão para uma nova realidade. Agora, Nathanael não consegue acordar.

CASCA DE BAOBÁ (11’34”) roteiro de Mariana Luiza – Rio de Janeiro/RJ
Maria, uma jovem negra nascida em um quilombo no interior do estado, é cotista na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Sua mãe, Francisca, leva a vida cortando cana nas proximidades do quilombo. As duas trocam mensagens para matar a saudade e refletir sobre o fim de uma era econômica-social.

SOBRE O MURO (13’21”) roteiro de Marcelo de Faria e Rafael Parreira – São Carlos/SP
Felipe é um jovem de periferia que tem dificuldade de se comunicar, e uma pichador que deixa sua marca por onde passa. Um dia, um pichador anônimo passa a responder suas mensagens pela cidade, estabelecendo um diálogo com Felipe, que faz com que ele repense as formas de encarar as relações com as pessoas do seu cotidiano.

Mostra B – terça, 15 de agosto, das 20h às 22h

RUÍNA (17’12”) roteiro de Alailson Bernardo – Goiânia/GO
Quanto tempo se perde sem saber? Rancor e remorso são sentimentos que devem ser carregados pela vida ou mesmo na morte? Resta tempo para descobrir? A vida segue seu curso, independente do que aconteça. As horas e os anos viram fardos para quem espera e para quem demora demais.

O CANTO DA SOMBRA (20’) roteiro de Thiago Kistenmacker – Rio de Janeiro/RJ
Jaque é uma cantora e compositora independente que recebe o apoio incondicional de sua namorada. Ela atrai a atenção de um produtor abusivo e trabalha por um ano em seu selo. Descartada de súbito, sua vida entra em crise paralelamente ao seu relacionamento afetivo. A artista se revela disposta a sacrificar tudo o que for preciso para conquistar o que deseja.

PEQUENOS ANIMAIS SEM DONO (13’21”) roteiro de Maju de Paiva – Rio de Janeiro/RJ
Olivia e Arthur têm dez anos e passam seus dias fora de casa. Vagam pelo condomínio, ouvem música e sonham com algum lugar longe dali. O dia em que Olivia descobre um gato sem dono no mato é o primeiro passo de uma jornada de perda da inocência.

SOLIDÃO (12’36”) roteiro de Edu Lima – São Paulo/SP
Em São Paulo Felipe se sente sozinho, mesmo rodeado de amigos acredita que lhe falta algo ou alguém.

 

 

DESCONFORTO (7’12”) roteiro de Daniel Bueno – Santos/SP
Terror experimental que trabalha com a intenção de passar o medo do desconhecido, uma forma de como o medo do que você vê e escuta pode incomodar.

 

Mostra C – quarta, 16 de agosto, das 20h às 22h

O NOME DO DIA (18’51”) roteiro de Marcello Quintella e Boynard – Rio de Janeiro/RJ
Uma dor profunda e silenciosa une pai e mãe na saudade do filho. Para seguir adiante, eles precisam enfrentar o sofrimento desconhecido.  O filho dizia que todos os dias tinham um nome, mas partiu sem dizer o nome do dia de sua morte.

A CANÇÃO DO ASFALTO (16’) roteiro de Pedro Giongo – Curitiba/PR
De noite, quando as ruas estão vazias, o asfalto ecoa a música do silêncio.

 

INFINITO PERIÓDICO (15’) roteiro de Leandro Luz, Gabriel Ritter e Tiago Monteiro – Rio de Janeiro/RJ
Infinito Periódico gira em torno da obsessão do protagonista, Marcelo, por um célebre jogo eletrônico vintage, em que o preço da vitória por se chegar à última fase pode ser demasiado caro ética e moralmente. Conflitos do presente e do passado envolvendo sua namorada, Bia, e seu melhor amigo, Edu, culminam num frenesi violento e perturbador, alterando o destino de Marcelo e de todos ao seu redor.

FERIDA (14’) roteiro de Dandi Queiroz – São Vicente/SP
Um casal, que no passado viveu um grande amor, passa por uma relação regada à violência por parte de Romeo, enquanto Maria, sua esposa, sofre maus-tratos através de violência física e psicológica, se tornando uma mulher fria, angustiada e infeliz. Em seu limite emocional, Maria decide continuar sofrendo, mas de uma forma diferente.

NOVE E QUINZE (2’49”) roteiro de Vitória Mantovani – São Paulo/SP
9:15 é um curta metragem em formato de trailer, o trailer de uma história de amor que não acontece em meio aos contratempos paulistanos.

 

VARAL (4’02”) roteiro de Carla Caroline – Salvador/BA
Um filme sobre sutileza

 

 

 

Mostra DOC – quinta, 17 de agosto, das 20h às 22h

UMA BALADA PARA ROCKY LANE (20’03”) roteiro de Djalma Galindo, Bruno Silva, Paula Reis e Lorena Arouche– Olinda/PE
Arcoverde, sertão de Pernambuco. Um homem conheceu o cinema, trabalhou no cinema e viveu para o cinema. No início dos anos 80 o cinema fechou, e essa foi a maior tragédia de sua vida.

 

BH NO RITMO DA LUTA (16’43”) roteiro de Dandara Andrade – Belo Horizonte/MG
Em meio a embates políticos e a efervescência cultural da capital mineira, coletivos independentes lutam pelo direito à moradia, pelo transporte público gratuito e pelo uso livre do espaço público.

 

CABELO BOM (15’09”) roteiro de Swahili Vidal – Rio de Janeiro/RJ
Como o cabelo crespo de três jovens mulheres é parte fundamental de suas histórias de vida. Através dele elas nos contam historias de preconceito, autoaceitação e principalmente libertação e tomada de consciência. O cabelo crespo é o motor da reafirmação de suas identidades.

UTOPIA (15’01”) roteiro de Tonia Marta – Rio de Janeiro/RJ
Utopia é um ensaio fílmico sobre a descoberta da beleza oculta de uma cidade – o Rio de Janeiro, que se mantém distante de quem não vive nela. A beleza do suor cotidiano, dos olhares que se cruzam em meio a ruídos incessantes, do caos urbano, do calor intenso que aquece e ao mesmo tempo repele. A partir de um relato observacional e poético de uma jovem imigrante conhecemos a cidade para além dos mitos e da imagem vendida pela TV.

SULI (12’59”) roteiro de Takashi Severo – Palhoça/SC
Praia da Pinheira, praia paraíso, cercada pelo Vale da Utopia e Guarda do Embaú. Escondida ao sul da Praia existe um antigo gueto, quilombo moderno chamado SULI. Na formação dessa vila de pescadores os brancos separavam os negros para o sul, no dialeto local “SULI”. Como se formou, como é hoje e quais as perspectivas desse bairro gueto camuflado, contraditório e efervescente.